Introdução

O que é a Bioestatística?

É utilizada como instrumento para análise dos fenômenos biológicos. Nas últimas décadas, sofreu uma progressão vertiginosa, uma vez que foi apoiada pelo crescimento da atividade científica em todos os campos e pela revolução tecnológica representada particularmente pelos computadores eletrônicos.

Esta disciplina organiza um referencial teórico próprio e gera uma grande variedade de conceitos, métodos e técnicas de análise.

Importância da disciplina:

O estudo da estatística explora: o planejamento e a coleta; a organização; a análise e a interpretação de dados. O planejamento pode influenciar na escolha das situações experimentais e na definição da quantidade de indivíduos a serem examinados. Já a análise e interpretação dos dados indicam como apresentar as informações e ajuda a comparar as situações experimentais.

Tudo isso torna o profissional, que cursou esta disciplina, alguém mais crítico na análise de informações e menos sujeito a indagações enganosas.

O que é câncer?

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo.

Estas células que se dividem de maneira muito rápida, normalmente tendem a ser incontroláveis e agressivas ao organismo e, assim, formam tumores que podem ser classificados em benignos ou malignos. Os benignos são células que se multiplicam mais lentamente e possuem semelhança com seu tecido original, dificilmente constituem risco de vida. Já os malignos possuem multiplicação acelerada, fazem metástase com mais facilidade e constituem risco de vida para o enfermo.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Outras características que podem diferenciar os diversos tipos de neoplasias são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes, dificultando um tratamento mais simples e bem sucedido.

A bioestatística e o câncer:

Essa interação possibilita uma melhor compreensão sobre a doença, seus determinantes e sua distribuição de incidência e mortalidade. É também capaz de orientar os centros de pesquisas oncobiológicas, evidenciando os tipos de tumores mais comuns no Brasil, e grandes indústrias farmacêuticas, no investimento intelectual e financeiro para o desenvolvimento de novos fármacos e tratamentos alternativos aos já existentes.